segunda-feira, 19 de abril de 2010

Maratona de Roterdão: "A criar vencedores há 30 anos!"




Finalmente, o post!

Após a maratona permaneci no país das tulipas mais uns dias a gozar umas mini-férias! Por pouco ia ter que prolongá-las, mas por umas escassas horas consegui escapar à nuvem de cinzas que está a provocar o caos no espaço aéreo da Europa e regressei a Portugal.

Pela terceira vez corri a Maratona de Roterdão. Em 2005 numa manhã de chuva ali completei a minha 2ª maratona, repleta de êxito. Voltei em 2007, com mais duas nas pernas e com aspirações a fazer um bom tempo, contudo uma onde de calor que invadiu a Holanda por aqueles dias, a minha falta de experiência e a teimosia em não redefinir os objectivos atendendo às circunstâncias climatéricas, ditaram a minha pior prestação em maratonas e uma corrida em que terminei com grande sacrifício e desilusão!

Apesar de tudo tinha prometido voltar! Como este ano a Fortis Marathon Rotterdam comemorava os 30 anos achei que era a ocasião apropriada para marcar novamente presença. Tenho família e amigos na Holanda que, além de me estimar muito, apreciam os atletas que correm uma maratona. Todos foram excepcionais no apoio que me deram nos vários pontos do percurso. Ouvi mais vezes "Força...go José!" durante esta corrida do que em todas as provas que já fiz em Portugal.

A manhã estava fria e cinzenta e pior que isso, ventosa! Depois de tomar um café expresso comecei o meu aquecimento 40 minutos antes do início da corrida. Estava mesmo bastante frio pelo que o melhor era movimentar-me para aquecer! Quando faltavam 15 minutos para o tiro de partida dirigi-me para o lugar que me era destinado e deixei-me ficar no meio da multidão para ver se me protegia melhor do vento frio que teimava em não amainar.

Como escrevi por aqui, tinha fixado o objectivo de chegar nas 2h45m. Talvez por influência da minha última prestação naquele mesmo lugar, achei que não deveria modificar muito o objectivo, mas introduzir algumas condições. Assim, a primeira era tentar seguir num grupo a um ritmo na ordem dos 3m55s/km até sensivelmente a meio, tentando deste modo evitar o desgaste acrescido que correr com vento provoca quando seguimos sozinhos. Depois reavaliava a situação, a forma como me sentia e redefinia a abordagem para a segunda parte da corrida, sem nunca esquecer que numa maratona o decisivo é o que se vai passar a seguir aos 30 kms.

No tapete de controlo da meia-maratona registei o tempo de 1h22m49s. Agradou-me, uma vez que me deixei ir na cauda de um grupo gerindo sem qualquer problema o esforço até então dispendido. No entanto, por volta do 23º km o grupo começou a baixar ligeiramente o ritmo, era justo ser eu a ir para a frente puxar e assim pensei, assim o fiz! Comandando o pelotão de uma dúzia de atletas, tentei abanar um bocadinho a corrida para ver se o ritmo não esmorecia, aumentei a cadência, mas o grupo não foi na minha onda pelo que ganhei uma distância de uns 20 metros e fiquei sozinho. Neste momento teria de tomar uma decisão - ou me faria estrada fora entregue a mim ou desacelerava e integrava novamente o grupo. Uma rajada forte de vento que se fez sentir naquele preciso momento tomou a decisão por mim, ainda não era a hora de avançar, voltei ao grupo, só que desta vez não fui para a retaguarda, fiquei na linha da frente.

Mais uns kms e o grupo começou a decompor-se, na passagem do 28º km seguia na roda de apenas três atletas. Um deles fez-me sinal para tomar a dianteira de forma a dar-lhe alguma proteção do vento. Não recusei a proposta e cheguei-me à frente e comecei a impor um ritmo de modo que não baixasse dos 4m00s/Km. Assim, nos 10 kms finais estava sozinho, no entanto sentia-me bem e ia procurar manter aquele ritmo até final. Dobrei imensos atletas que iam em perda. Este facto aliado aos imensos aplausos com que ia sendo brindado e que cresciam à medida que me aproximava da meta, foram um excelente incentivo para que as pernas continuassem leves e soltas.

Sem grande esforço, sem o desgaste sentido em outras maratonas, no dia 11 de Abril concluí pela 11ª vez a prova rainha do atletismo. O tempo final foi de 2h47m11s e a sensação que podia ter feito melhor! No entanto fiquei bastante feliz e parafraseando um companheiro das corridas "Melhores, são os que melhoram!" - O meu record na distância melhorou 36 segundos!

Estando bem preparado, a maratona é um passeio de 30 kms, uma prova de 12 kms e por fim uma série de 195 metros!

Como devem calcular tenho enorme simpatia por esta maratona. A partida dada por um tiro de canhão, o numeroso público ao longo de todo o percurso, em particular na ponte Erasmus e na recta da meta, a afectividade e a simpatia que a família e os amigos me brindam durante a corrida, são motivos mais que suficientes para que, num futuro próximo, regresse mais uma vez.


Está prometido!
Haja pernas!!!

15 comentários:

Anónimo disse...

Capela
és um grande maratonista, parabéns pelo record.
Parabéns também pelo post, à Capela, i.e., muito bom.
Hajam pernas.
Abraço,
António Almeida

Anónimo disse...

Amigo Capela parabens e até domingo tens o record mas depois da minha passagem por madrida lá se vai ..treta ou nao...rsrsrsrs

Um abraço parabens

Manuel Mendes V.S.C

MPaiva disse...

Capela,

Já tinha visto o resultado no site da prova, mas estava ansioso pelo relato.
Vejo que a prova foi bem controlada e que, com mais um bocadinho de sorte na escolha de um grupo com bom ritmo, o resultado ainda poderia ser melhor.
Muitos parabéns por mais uma esta grande demonstração de qualidade atlética!

abraço
MPaiva

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Boa Zé! Parabéns!

Gosto de te "ver"!

Haja pernas pois, para muitas mais Maratonas.

Um beijinho

Maria Sem Frio Nem Casa

Fernando Andrade. disse...

Grande Capela.
Excelente controlo da prova conforme nos relatas por palavras que nos transportam ao local de forma soberba.
Muitos Parabéns. Essas pernas funcionam mesmo, quando^tão bem comandadas.
Grande Abraço.
FA

joaquim adelino disse...

Parabéns amigo Capela, é sempre boa altura para ouvir histórias como esta e quando elas são boas então ainda melhor. A marca é muito boa, sem vento e com melhor companhia ainda se "comiam" mais alguns minutos, mas isto tem que ir aos poucos senão o próximo desafio já iria ser complicado.
Faço-lhe um convite para passar lá pelo nosso blogue e saber novas do III Encontro Blogger. estamos à espera que o "telefone" toque.
Não se atrase.
Abraço

João Paulo Meixedo disse...

Muito bem.
Excelente prova. Belo relato. Fiquei com vontade em lá ir, embora esteja a equacionar Amesterdão, por ser em Outubro (se conseguir uma de 6 em 6 meses já é muito bom)
Vais ao III Encontro Blogger?
Um grande abraço.

Rui disse...

parabens. grande tempo

luis mota disse...

Olá Capela!
Excelente resultado. Muitos parabéns!
Grande abraço,
Luís mota

Anónimo disse...

muitos parabens pela prova. conseguiu melhorar o seu registo, o que é optimo. voçé e um campeão!!! cumprimentos
valter verde antao

Anónimo disse...

Viva Zé,

Foi um prazer ver-te em Roterdão!
E que tempo magnifico! Essas pernas são mesmo rápidas.
Aqui te esperamos novamente em 2012.Até lá ainda vais correr milhares de kms.
Beijinhos também do Ruben e Lucas

Manuela

Flechinhas disse...

Parabéns Capela pelo excelente post mas acima de tudo pelo novo record obtido. Também nós estamos muito motivados para no próximo ano podermos pela 1.ª vez fazer esta Maratona, esperando que nos possas dar algumas dicas importantes!
osflechinhas.blogspot.com
Duarte Silva

Anónimo disse...

boas capela

Parabéns acho incrivel o que consegues fazer , bates recordes a cada prova , a prova de roterdão tem uma cobertura video incrivel que te mostra em várias alturas da prova que em conjunto com o teu relato deu mesmo para sentir que estavamos la .

Abraço

Paulo Martins

Beach Hobo disse...

PARABÉNS! WOW grande atleta! Continue sempre e sempre a melhorar são os meus votos, se bem que esse já seja um excelente tempo para muito se orgulhar José!

bjs

Margarida C. Silva

Duarte Gregório disse...

boas,
parabens por mais uma concluida com exito.
abraço