terça-feira, 9 de março de 2010

Até o cego (do Maio) viu!

Ao longo dos anos que conto de corrida, participo sempre com muito agrado nas provas que se realizam na Póvoa de Varzim, aliás como por aqui já escrevi, esta cidade remete-me para recordações muito felizes dos tempos da infância. Assim, gosto de me apresentar na Póvoa em condições de lutar pelos melhores tempos. Os records aqui obtidos dão razão à minha aposta, os percursos são praticamente planos, desenrolando-se em grandes rectas e com passagens por um ambiente urbano, convidativo para o público brindar os atletas com aplausos e ânimo. Se a meteorologia der uma ajuda estão reunidos todos os ingredientes para que os tempos finais sejam sempre bons.

Como todos sabem, o mau tempo e a chuva tem dado poucas tréguas neste inverno. Apesar das previsões serem animadoras, a manhã deste domingo na Póvoa estava muito chuvosa. No entanto, os aguaceiros não foram suficientes para desmobilizar os cerca de 800 atletas que marcaram presença. Gostaria ainda de salientar a excelente organização a cargo do município, que montou a logística da corrida junto ao local de partida, no Pavilhão do Desportivo da Póvoa, disponibilizando ainda balneários para os atletas se equiparem e no fim, se assim o desejarem, tomarem o respectivo duche.

Em plena fase de preparação para a Maratona de Roterdão, com treinos intensos e muitos kms nas pernas, esta 'meia' iria servir para avaliar o estado de forma, mas com a tentaiva de bater o record pessoal da distância em mente! Tenho consciência que a minha margem de progressão já não é muito grande, deste modo os objectivos que traço para as corridas são realistas, alcançáveis, mas exigentes. A estratégia para o record era rodar em média a 3m39s/km e cada parcial de 5 km em 18m15s.

Partida dada debaixo de chuva miudinha, mas sem o indesejado vento. Primeiro e segundos kms corridos abaixo do programado e desde logo um grupo de uma dezena de atletas constituído. Eu e o meu amigo Manuel Mendes, que no passado travamos uma interessante luta, com a vitória a pender para o meu lado por escassos 18 segundos, seguiamos juntos e na dianteira deste pelotão. Num ritmo a rondar os 3m35s/km fomos galgando os kms e no encalço de um outro grupo que seguia 300 metros à nossa frente, onde rumavam duas atletas femininas, que como é hábito levam sempre muitos corredores na boleia do seu andamento.

Os 5 kms foram dobrados com o tempo de 18m05s e parecia que estávamos a encurtar a distância do grupo da frente. Quando pisamos o tapete de controlo de chip em Santo André, aos 9 kms, era notório que a distância efectivamente tinha diminuido, aliás alguns atletas desse grupo começaram a descolar e nós a ultrapassa-los. O nosso ritmo não sofria grandes alterações e na passagem dos 10 kms o nosso tempo era de 36m15s.

Entretanto o nosso grupo já se desmembrara, passou a trio, composto por mim, pelo Manuel Mendes e por um atleta da Galiza. Estrada fora, com grande espírito de entreajuda fomos ultrapassando um a um os atletas que entretanto iam em perda. Por volta dos 13 kms, cheguei a pensar que o Manuel e o galego iriam fugir-me, o ritmo continuava forte e as pernas parece que queriam vacilar. Relaxei um bocadinho, ingeri o gel que levava, retemperei forças e os 3 metros que me separavam do duo não eram suficientes para me fazer esmorecer. Aos 15 km o meu cronómetro registou 54m32s.

Por volta dos 16 kms já estava novamente colado ao duo. No entanto o galego forçou o ritmo e ganhou-nos uns 5 metros. A corrida estava boa e muito animada! Eu e o Manuel aceleramos para caçar o 'nuestro hermano' e o ritmo obviamente não baixava! Junto ao Casino, na placa dos 20 kms o espanhol já estava alcançado e o relógio marcava 1h12m52s. Uns metros mais à frente o Cego do Maio na sua pose característica parecia que avistava o meu record! Eu também sentia que iria conseguir! Já em pleno Passeio Alegre e com a meta à vista o ritmo era elevado, na ordem dos 3m30s/km, o duelo com o meu amigo Manuel estava ao rubro, ele que tantas vezes ameaçou que me ganharia ia um metro à minha frente! Ainda lhe disse que desta vez ele venceria, parecia-me mais forte e eu já ia muito próximo do limite. Nos derradeiros metros galvanizado pelos incentivos de muitos amigos que assistiam à corrida, num último fôlego e sprint, alcancei o Manuel mesmo em cima de linha de meta! O último km foi corrido em 3m25s! O tempo final, 1h16m43s! Um excelente record numa corrida disputadíssima!

Este ano talvez o Manuel merecesse ganhar, no entanto apesar de alguém ter dito que eu cheguei uma pontinha à frente, o tempo registado no chip de ambos revelava um empate! Os caprichos da tecnologia assim o ditaram, agora eu e o Manuel que saudavelmente gostamos de competir, no próximo ano voltaremos ao mesmo palco para desempatar. Por mim, fica desde já marcado!

Com Roterdão no horizonte do cronómetro o treino continua, mas daqui a 15 dias estarei em Lisboa para a peregrinação da ponte!

Haja pernas!

11 comentários:

Mark Velhote disse...

Viva Capela,

Grande prova!
Ainda me descobri ali na primeira foto que revela o pelotão que ia à tua boleia, mas ao Km5 tive de começar a fazer a minha corrida (não havia pernas para mais).
Parabéns também pelo relato da prova onde consegues sempre fugir aos lugares-comuns.

Boa sorte para Roterdão

Abraço

luis mota disse...

Olá Capela!
Grande desempenho o teu na Póvoa.
Parabéns pelo resultado alcançado.
Votos de boa preparação para Roterdão.
Luís mota

joaquim adelino disse...

Amigo Capela, gostei muito de ler este bonito relato, está muito completo e revela a boa condição física que actualmente possui.
O duelo é bonito quando é feito com tanto desportivismo, raro nos dias que correm a este nível, oxalá assim continuem a ver o Desporto onde o respeito e a amizade deverá estar sempre em 1º lugar.
Vai também daqui uma palavra para o seu Vitória de Guimarães e também, porque não dizê-lo, para o meu Sobrinho Paulo Sérgio que comanda aquele grupo de forma meritória.
Cá o espero em Lisboa no dia 21 para lhe dar um abraço.
Até lá.

Anónimo disse...

Capela agradeço-te mais este record um abraço mas conta comigo que este ano vou dar luta..um abraço

Manuel Mendes V.S.C

Anónimo disse...

parabens Capela grande tempo e já o merecias andavas sempre a rondar a 1h.16m parece que os treinos vão dando frutos, uma vez que vens a Lisboa é provável que possamos andar juntos estou a preparar a meia para 1h16m se os peregrinos me deixarem passar.

Paulo Martins
Leoes de Kantaoui

Ricardo Hoffmann disse...

Parabéns pelo ótimo resultado!

MPaiva disse...

Capela,

Muitos parabéns pela prova que fizeste, pelo relato que nos deixaste e pelo magnífico record alcançado! Realmente há atletas que são como o vinho do Porto...

abraço
MPaiva

Anónimo disse...

Olá Zé,

Há 3 meses que comecei mais seriamente a correr. Neste momento sinto-me em forma para pelo menos participar na corrida dos 5kms.Já há vários anos que o Jan insiste em que corra com ele em Roterdão. Este ano cedi. Espero vá gostar!
Beijocas
Manuela

António Almeida disse...

Olá Capela
parabéns pelo recorde, excelente relato.
Abraço e hajam pernas.

António Almeida disse...

Capela
parabéns pelos 3 anos do "Pernas", claro pelo teu aniversário, contes muitos e com muitos e bons kms nas pernas.
Abraço, resto de dia feliz.

Kim disse...

Viva,
Eu estou a dar os "primeiros passos" nas corridas e nestas coisas dos blogs. Pode-me dizer como conseguiu adicionar música ao seu blog? pode enviar essa informação para morgadovaz@iol.pt?

Boa sorte para a maratona de Roterdão

Abraço