terça-feira, 13 de maio de 2008

Meia-Maratona de Cortegaça: No limiar do record!

Estava uma manhã de sol lindo, embora como é costume junto à praia, há sempre uma brisa a correr, que a qualquer momento se pode transformar em vento incómodo. Este ano as obras no centro da vila estavam concluídas, o piso do último quilómetro que outrora era muito irregular, estava agora um autêntico tapete em alcatrão. Havia também outra novidade, a meta foi colocada na avenida da praia, numa larga e comprida recta com excelentes condições para os atletas darem o seu melhor e para o público os brindar com os merecidos apalusos.

Conforme escrevi no post anterior, partia para esta meia-maratona com o objectivo de bater o record pessoal ou ficar lá próximo. Era a sexta vez que participava nesta corrida, sempre com resultados satisfatórios. O percurso é muito agradável, sem grandes desníveis e feito quase sempre dentro de uma mata, em que o silêncio da brisa que faz esvoaçar os ramos dos pinheiros, apenas é quebrado pelo som das sapatilhas dos atletas a deslizar no asfalto.

A olho nu percebi que estava mais gente que em anos anteriores, o que é sempre bom, a prova fica mais animada e consequentemente mais competitiva. Coloquei-me bem na frente da linha da partida pelo que não tive qualquer problema na largada. Como os primeiros quilómetros eram ligeiramente a descer o ritmo foi forte, ao fim do 2 km registava um tempo de 7m13s, tentei 'formar' um grupo para seguir num ritmo dentro dos 3m45s/Km, mas foi em vão. Assim, tomei a dianteira de um pequeno pelotão e à passagem dos 5 km, com o tempo de 18m20s, apenas tinha um companheiro como parceiro de corrida, que também foi 'sol de pouca dura' pois aos 8 km já estava entregue a mim próprio! Embora não seja este facto que me faz esmorecer, também é óbvio que seguir na corrida em grupo é mais fácil e muito menos desgastante.

No abastecimento dos 10 km o cronómetro marcava 37m21s, estava dentro do tempo para o record mas não me era permitido que sofresse qualquer quebra, mesmo que fosse muito libgeira. Continuava sozinho estrada fora, rolava a um ritmo dentro dos 3m45s-3m46s/km, dobrei alguns atletas que iam em perda, o que me dava um certo moral. Por volta do km 14 reparo numa placa pregada num pinheiro que dizia - "A natureza é de todos, protege-a." Neste preciso momento, o vento faz sorrateiramente a sua aparição. Quem precisava de se proteger da natureza era eu, ainda consegui chegar junto de um atleta que seguia na minha frente, mas os dois não conseguíamos minimizar os efeitos do vento propriamente dito, mas deu para colaborarmos e transmitir o imprescindível ânimo para superar a adversidade.

Quando dobrei os 15 km com 56m27s, já estava escassos segundos fora do record, mas ainda não estava totalmente arredado. O vento amainou um pouco, por volta do km 17, mas o ritmo também tinha baixado para 3m48s-3m49s/Km. O meu companheiro perguntou-me se dava para baixar da 1h20m, eu confirmei que se mantivéssemos aquela cadência, sim! Remotamente ainda tinha a esperança que ficasse uns segundinhos abaixo de 1h19m, mas guardei este pensamente apenas para mim. Passei o km 20 com 1h15m24s e mesmo sabendo que não era possível alcançar o record, dei o meu máximo percorrendo os mil e noventa e sete metros e meio em 3m57s, concluindo a prova com o tempo de 1h19m21s, a 26 segundos da minha melhor marca pessoal! Fiquei contente e nada decepcionado, é que apesar da meta estar instalada a poucos metros da praia, não penso que 'tenha morrido na praia'! Afinal as meias-maratonas são como as marés, não vão deixar de existir e acredito que vai ser possível 'apanhar o barco' que me levará ao record!

No próximo domingo voltarei a correr junto ao mar, nos 10 km da Corrida da Marginal Póvoa de Varzim-Vila do Conde. Vamos ver se os ventos sopram de feição!

6 comentários:

Ricardo Hoffmann disse...

Maravilha de relato, de lugar e de tempo! Parabéns pela prova! O record está muito próximo.

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Parabéns (na mesma Zé!) pela prova!

E é como dizes: há mais marés e mais Meias... e ainda vais conseguir esse objectivo, o de bater o teu record na Meia, mas também como dizes, o realmente importante é ter objectivos, mesmo que os não atinjamos.

Um beijinho
Ana

Alberto Soares disse...

ola amigo capela gostei de saber o tempo que fizeste eu ainda fui contigo ate aos 8k depois fiquei no grupo que ia atras i acabei com 1.20h
gostava que verificasses a clasificaçao por equipas em cortegaça porque penso que a vossa equipa entra pelo menos em nono e a qual vós nem nas dez entraram. ate domingo. se quiseres nos conhecer o nosso blog é www.crpstiago.blogspot.com um abraço o meu mail e alberto_faria_40@hotmail.com

António Almeida disse...

Caro José Capela

andou lá perto (do RP), mas de qualquer modo é uma marca muito boa.
Que os ventos soprem de feição domingo que vem.
Um bom fim-de-semana.

JACKE disse...

Olá Zé!!
Que maravilha ler seus relatos... Faltou muito pouco para atingir sua meta, mas como vc mesmo colocou, não faltarão outras provas para que seu record seja quebrado!
Lhe admiro muito!! Espero que você nunca deixe de compartilhar seus maravilhosos relatos!

Um beijo da sua amiga brasileira
Jacke

americo disse...

Oi amigo capela andamos ate ao fim mas fui por pouco que nao ficamos por 1h18 americo clube escapães.